Titulo do Mangá Mato Seihei no Slave Foi Censurado em sua Versão em Inglês

Titulo do Mangá Mato Seihei no Slave Foi Censurado em sua Versão em Inglês

Titulo do Mangá Mato Seihei no Slave Foi Censurado em sua Versão em Inglês

Yen Press é uma editora americana de mangás que pertence ao Hachette Book Group e à Kadokawa Corporation, ela é uma das mais criticadas por sua censura exagerada. Inclusive já teve casos onde a editora simplesmente decidiu excluiu parte das obras originais, como foi o caso de Classroom of the Elite e Mushoku Tensei: Jobless Reincarnation.

E aparentemente a editora não pretende mudar a sua forma de trabalhar, visto que ela censurou até mesmo o titulo do mangá Mato Seihei no Slave em sua versão em inglês.

A tradução do titulo do mangá Mato Seihei no Slave que é escrito por Takahiro e ilustrado por Youhei Takemura, é a seguinte: "Escravo das Tropas de Elite da Capital Mágica". A obra conta a história do estudante do ensino médio Yuuki Wakura, que se torna escravo da líder da unidade do Corpo Anti-Demônio.

Mas aparentemente esse titulo não agradou nada a editora por conter a palavra "Escravo", então ela simplesmente decido censurar/modificar o titulo do mangá em sua versão em inglês para "Chained Soldier (Soldado Acorrentado)", removendo completamente qualquer referência à escravidão.

Não seria nenhuma surpresa se a adaptação para anime fosse licenciada pela Crunchyroll com este mesmo titulo, considerando o histórico.

Titulo do Mangá Mato Seihei no Slave Foi Censurado em sua Versão em Inglês

Obviamente os fãs condenaram a decisão da editora, prometendo não apoiar a publicação impressa da versão em inglês de Mato Seihei no Slave

Os fãs também estão pedindo para a comunidade em geral não comprar a versão em inglês da obra, para que a editora sinta um pouco a pressão dos leitores, e pare com essa censura exagerada.

O assunto foi bastante comentado nas redes sociais, veja alguns dos principais comentários abaixo:

Eu não teria comprado esta merda de qualquer maneira, mas, caramba, os comentários são esclarecedores. A Yen Press deve prestar mais atenção.


O titulo "Escravo Acorrentado" se encaixaria melhor no tema, o cara nem sequer é um soldado.

Com todo o respeito, é tão tabu e delicado dizer/mostrar "Escravo" em um título? Tivemos coisas muito piores em outros títulos fora da marca. O termo existe. Use-o.

O mistério de por que as pessoas ainda preferem ler traduções de fãs continua...


Por que uma obra é licenciada? apenas para ser censurada? Eu não vou comprar mais títulos da Yen Press.


Se censuraram o titulo, imagina o conteúdo, eu que não vou comprar isso



O autor Takahiro (que também é autor de Akame ga Kill!) e Takemura começaram a publicar o mangá através do serviço Shonen Jump Plus da editora Shueisha em janeiro de 2019. A obra já ultrapassou 1 milhão de cópias acumuladas em circulação e uma adaptação para anime já está em produção.

Sinopse de Mato Seihei no Slave

Quando as entradas para uma dimensão diferente conhecida como “Mato” surgem em todo o Japão, um novo recurso conhecido como “Peaches” que confere habilidades únicas apenas às mulheres é descoberto. No entanto, monstros perigosos chamados “Yomotsu Shuuki” também vagam pelo Mato e têm sido responsáveis ​​por vários desastres desde então. Para combatê-los, o governo formou o Corpo Anti-demônio, um grupo de elite de mulheres que recebeu o poder dos Peaches.

Um dia, um estudante do ensino médio chamado Yuuki Wakura estava voltando da escola para casa quando de repente se perde na entrada de Mato. Quando ele pede ajuda, ele é imediatamente resgatado por Kyouka Uzen, a chefe da Sétima Unidade do Corpo Anti-demônio. Reconhecendo seu potencial, ao mesmo tempo que precisa dele para tornar seu poder de Peach mais eficaz, ela pede que Yuuki se junte ao Corpo Anti-demônio se tornando o escravo de Kyouka, uma posição que ele pode achar mais agradável do que ele inicialmente teria pensado …

fonte: natalie
Manual do Otaku

"Uma chance num milhão é melhor que nenhuma chance!" – Dragon Ball

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem